Um Blogue sobre livros, poesia, filmes, tecnologias informáticas e cultura.

A Blog about books, poetry, films, computer technology and culture.

Translate

Pesquisar / Search

Seguir por E-mail / Follow by Email

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Poesia da Semana / Poetry of the Week: Giuseppe Ungaretti - Inno alla Morte


Giuseppe Ungaretti




INNO ALLA MORTE
da IL SENTIMENTO DEL TEMPO - da LA FINE DI CRONO

Amore, mio giovine emblema,
Tornato a dorare la terra,
Diffuso entro il giorno rupestre,
E' l'ultima volta che miro
(Appiè del botro, d'irruenti
Acque sontuoso, d'antri
Funesto) la scia di luce
Che pari alla tortora lamentosa
Sull'erba svagata si turba.

Amore, salute lucente,
Mi pesano gli anni venturi.

Abbandonata la mazza fedele,
Scivolerò nell'acqua buia
Senza rimpianto.

Morte, arido fiume...

Immemore sorella, morte,
L'uguale mi farai del sogno
Baciandomi.

Avrò il tuo passo,
Andrò senza lasciare impronta.

Mi darai il cuore immobile
D'un iddio, sarò innocente,
Non avrò più pensieri nè bontà.

Colla mente murata,
Cogli occhi caduti in oblio,
Farò da guida alla felicità.

Tradução para Português:
HINO À MORTE
pelo sentimento de tempo - a partir do final de Chrono

Amor, meu jovem emblema
Voltando ao marrom a terra,
Disseminada pela rocha dia,
E 'a última vez miro
(Ao pé do barranco, no impetuoso
Suntuoso água de
cavernas) Fatal na esteira de luz
Igual à pomba melancólica
Grama sonhador é perturbado.

Amor, saúde brilhante
Eu peso nos próximos anos.

Depois de deixar o clube fiel,
Deslizar para a escuridão
Sem arrependimento.

Morte, rio árido ...

Alheio irmã, a morte,
O mesmo vai me fazer sonhar
Beijo.

Eu vou ter o seu passo,
Eu vou sem deixar vestígios.

Você vai me dar seu coração ainda
Tudo de um deus, eu vou ser inocente,
Vou ter mais pensamentos nem bondade.

Sua mente murado,
Seus olhos caíram no esquecimento,
Vou guiá-lo para a felicidade.

Translation into English:
HYMN TO DEATH
by THE FEELING OF TIME - from THE END OF CHRONO

Love, my young emblem
Returning to brown the ground,
Widespread by the day rock,
And 'the last time miro
(At the foot of the ravine, on the impetuous
Water sumptuous of caves
Fatal) in the wake of light
Equal to that plaintive dove
Dreamy grass is disturbed.

Love, health shiny
I weigh the coming years.

After leaving the club faithful,
Glide into the dark
Without regret.

Death, arid river ...

Oblivious sister, death,
The same will make me dream
Kissing.

I'll have your step,
I will go without a trace.

Will you give me your heart still
All of a god, I'll be innocent,
I'll have more thoughts nor goodness.

His mind walled,
His eyes fell into oblivion,
I will guide you to happiness.



Até Já / See you soon

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...