Um Blogue sobre livros, poesia, filmes, tecnologias informáticas e cultura.

A Blog about books, poetry, films, computer technology and culture.

Translate

Pesquisar / Search

Seguir por E-mail / Follow by Email

sexta-feira, 4 de maio de 2012

Clube de Leitura / Reading Club: Biblioteca e Documentação / Library and Documentation


Tal como foi previamente anunciado, no dia 13 de Abril  esta semana vamos começar a falar sobre temas relacionados com as Ciências da Documentação e Informação.
O nosso encontro era para ter sido na 6ª feira passada, mas como fui até Lisboa, o cansaço foi mais forte do que eu e acabei por adiar.
Hoje venho falar sobretudo de Normalização em documentação e informação: princípios e regras de descrição bibliográfica, classificação e indexação e controlo de autoridade e pesquisa de informação. Tenciono fazer uma abordagem genérica sobre estes temas. Não tenho a pretensão de, em apenas 1 hora e 30, falar de todos os aspectos que estes assuntos implicam.
Este é um tema sobre o qual vos pretendo falar mais em “posts” futuros.
Nesta sessão a ideia é: Eu coloco a análise que elaborei no blogue, aquela que estão a ler neste momento, e quem estiver interessado pode vir conversar comigo no Google talk (marialeonorcost@gmail.com) das 22h às 23h. Todos podem enviar propostas, dúvidas, comentários ou outro tipo de sugestão. Eu prontamente responderei aquilo que estiver ao meu alcance.
 
As previously announced, on April13 this week we'll start talking about issues related to Library and Information Science.
Our meeting was to have been in the last 6 Monday, but as I went to Lisbon, fatigue was stronger than me and I ended up postponing.

Today I speak particularly of Standards, documentation and information: principles and rules of bibliographic description, classification and indexing and authority control and research information. I intend to do a general approach on these issues. I do not claim that in just 1 hour and 30, talking about all the aspects that involve these issues.

This is a subject on which you intend to speak more "posts" future.

In this section the idea is: I put the analysis that I have elaborated on the blog, that they are reading right now, and anyone interested can come chat with me on Google talk (marialeonorcost@gmail.com) 22h to 23h. Anyone can submit proposals, questions, feedback or other suggestions. I readily answer that it is within my reach.



Análise síntese sobre principais aspectos FRBR, FRAD, FRADS e FRBRoo:
Seja qual for o procedimento normalizado adoptado em qualquer tipo de biblioteca uma ideia muito importante a reter é a noção de economia (de tempo, de dinheiro, de recursos humanos e materiais). Bibliotecários, Documentalistas e Arquivistas devem procurar ser o mais eficazes possível no exercício das suas funções procurando cumprir as normas vigentes e adoptadas pelos serviços onde exercem funções e satisfazendo as necessidades dos seus utilizadores.
Deve-se procurar sempre maximizar o desempenho dos catálogos e minimizar o ruido e a margem de erro.
Refiro-me sobretudo á gestão dos catálogos e `constante actualização das normas vigentes, dos princípios que regem a elaboração de catálogos às normas internacionais de descrição bibliográfica e aos códigos de catalogação que implementam e lhes acrescentam critérios e práticas. É essencial a redução dos custos implicados na sua produção.
Os catálogos devem obedecer às necessidades dos utilizadores, é com esse objectivo que eles são elaborados. A sua optimização é o objectivo primordial dos Bibliotecários no sentido de disponibilizar informação pertinente e que responda às necessidades efectivas dos utilizadores. A recuperação da informação em ambientes de rede (Web) representa, actualmente, o maior desafio para o qual é necessário dar resposta.
As bases de dados das bibliotecas devem ser optimizadas e responder às exigências actuais decorrentes da sofisticação e banalização das tecnologias da informação.
Os recursos, suportes e versões têm se diversificado. E as necessidades dos utilizadores são cada vez mais alargadas.
As alterações tecnologias trouxeram novos desafios. Surgiu a “necessidade de se extraírem dos catálogos tradicionais as funcionalidades e redes de relações emergentes dos requisitos funcionais”.

Estudos desenvolvidos sobre o universo bibliográfico – IFLA (http://www.ifla.org/) - The International Federation of Library Associations and Institutions:
Início em 1998 – FRBR – Functional Requirements for Bibliographic Records – Requisitos Funcionais de Registos Bibliográficos.
1º Identifica as entidades relevantes;
2º Define os respectivos atributos;
3º Exprime as relações entre essas mesmas entidades.

Entidades – objectos-chave de interesse para os utilizadores da informação – algo que requer identificação, quer através de designação própria, quer através de descrição:
- Pode ser de natureza conceptual ou física.
- Interliga-se com outras entidades por relações lógicas que podem existir entre pares de entidades explicitamente identificados ou realizarem-se entre entidades de diferentes níveis.

10 Entidades divididas em 3 grupos:
Grupo 1 – obra, expressão, manifestação e item – representam os produtos da actividade intelectual ou artística;
Grupo 2 – pessoa ou colectividade – representam os responsáveis pelo conteúdo, produção física, disseminação ou pertença das entidades do primeiro grupo;
Grupo 3 – conceito, objecto, evento e lugar – representam os assuntos da produção intelectual ou artística.
- Conceito de obra face às outras entidades
- Clarificação das relações bibliográficas

2009 - FRAD – Functional Requirements for Authority Data - Registos de Autoridade -
- Working Group on Functional Requirements and Numbering of Authority Records (FRANAR) – grupo criado pela IFLA com o objectivo de desenvolver os requisitos funcionais para os dados de autoridade – desenvolver o modelo para as entidades dos Grupos 2 e 3 dos FRBR.
- Identificam os objectos-chave, ou entidades relevantes em termos de pontos de acesso controlados, definem as suas características ou atributos mais importantes e exprimem as suas relações.
- Dois objectivos:
1- proporcionar um quadro de referência estruturado que permitisse relacionar os dados de autoridade com as necessidades e operações dos utilizadores;
2- contribuir para a partilha e reutilização desses dados a nível intelectual, tanto no sector das bibliotecas como fora dele.

Controlo de autoridade – acesso controlado para autores e títulos. Incluem formas autorizas e variantes, para nomes e títulos que congregam todas as formas do nome de um dado autor ou de uma dado título.

Entidades do Universos Bibliográfico – pessoa, colectividade, obra, expressão, manifestação, item, conceito, objecto, evento, e lugar, mais uma entidade adicional – família) – nomes e/ou identificadores no processo de catalogação usados como base para construção de pontos de acesso controlados. Refletem construções intelectuais ou conceitos que decorrem das regras utilizadas para a criação de catálogos.

Entidades bibliográficas – conhecidas por - Nome e/ou indentificadores – base para – Pontos de acesso controlados (Que variam de catálogo para catálogo consoante as regras que lhe estão subjacentes).

Potencial dos FRAD:
- melhorar a gestão de dados de autoridade,
- tirar melhor partido das suas possibilidades para:
            - desenvolver a estrutura sindética dum catálogo
- facilitar a compreensão desses mesmo dados fora do contexto em que são produzidos (essencial em ambientes de rede).

Inicio em 2005 - FRSAD – Functional Requirements for Subject Authority Data realizam na exploração de um catálogo. Ferramenta para avaliar e desenvolver o potencial de partilha das linguagens de indexação no âmbito da Web Semântica.
Quadro de referência teórico que analisa a função e estrutura dos dados de autoridade de assunto a um alto nível.

FRBRoo – Functional Requirements for Bibliographic Records object-oriented – criado em 20003 – Working Group on FRBR/CRM Dialogue em cooperação com o CIDOC CRM Special Group – objectivo: - preparar uma formulação dos FRBR orientada por objectos e extensão compatível, do CIDOC – Concept Reference Model (CRM) – 1996 – modelo conceptual para a informação de museus, formulado de acordo com a metodologia de orientação por objectos. (O-O).
Esta iniciativa harmoniza os dois modelos de modo a facilitar a interoperabilidade entre informação de bibliotecas e museus, designadamente pela utilização de RDF (Resource Descrption Framework) como linguagem de partilha e reutilização de metadados entre sistemas no ambiente Web.

Modelos de metologia de análise:
- E-R Entidade-Relação – Conceito introduzido por Peter Chen (1976) – instrumento de análise e desenho de bases de dados que representam o mundo real através de entidades e das associações que as relacionam.
“requisitos funcionais – necessidades a que os registos bibliográficos devem responder face aos diferentes tipos de operações que os utilizadores realizam na exploração de um catálogo.


Catálogos de bibliotecas Tradicionalmente De acesso linear
Transformação
Catálogos relacionais
Enfase nas relações mais importantes para os Utilizadores
Contribuem para uma melhor interpretação e contextualização dos dados que respondem às suas necessidades.


Utilizado por: FRBR, FRAD. FRADS.

- O-O Orientação por Objectos – Metodologia de análise oriunda do mundo da engenharia de software que corresponde à fase de crescente “componentização de aplicações e integração de sistemas.
Surge como um meio mais potente e menos estático que a metodologia E-R.
Utilizado por: FRBRoo.

Este género de Ciência é ainda muito mal compreendida pela generalidade da população. Muitas pessoas ainda não conseguem compreender o complexo trabalho de bastidores que é desenvolvido para que a informação esteja disponível de forma eficaz, acessível e cada vez de forma mais imediata.
Existem diversos grupos de profissionais que têm dedicado o seu tempo e disponibilidade, reunindo regularmente, para que as regras se tornem mais eficazes e adequadas aos novos suportes e realidades que vão surgindo.


English Version:

Review summary of key aspects FRBR, FRAD, and FRADS FRBRoo:

Whatever the standard procedure adopted in any type of library a very important idea to retain is the notion of economy (time, money, human and material resources). Librarians and archivists should endeavor to be as effective as possible in carrying out their duties trying to fulfill the standards adopted by the services and functions which they perform and meeting the needs of its users.

You should always seek to maximize the performance of catalogs and minimize the noise and the error rate.

I refer particularly to the management of catalogs and `constant updating of existing standards, the principles governing the preparation of catalogs to international standards for bibliographic description and cataloging codes that implement them and add criteria and practices. It is essential to reduce the costs involved for its production.

The catalogs must meet the needs of users, it is with this objective they are designed. Its primary objective is the optimization of librarians to make available relevant information and respond to real needs of users. The retrieval of information in networked environments (Web) currently represents the greatest challenge that must be answered.

The databases of libraries should be optimized and respond to the current requirements arising from the sophistication and banality of information technology.

Resources, media and versions have been diversified. And users' needs are increasingly extended.

Changes technologies have brought new challenges. Created the "need to extract the features of traditional catalogs and networks of relationships emerging functional requirements."

Studies conducted on the bibliographic universe - IFLA (http://www.ifla.org/) - The International Federation of Library Associations and Institutions:

Home in 1998 - FRBR - Functional Requirements for Bibliographic Records - Functional Requirements for Bibliographic Records.
1 identifies the relevant entities;
2 Sets the attributes;
3 express the relationships between those entities.

Entities - key objects of interest to the user information - something which requires identification either by their own name or description by:
- Can be physical or conceptual nature.
- Connects with other entities by logical relationships that can exist between pairs of entities explicitly identified or hold between entities of different levels.

Entities 10 divided into three groups:
Group 1 - work, expression, manifestation and item - represent the products of intellectual or artistic activity;

Group 2 - person or organization - representing those responsible for the content, physical production, dissemination or entities belonging to the first group;

Group 3 - concept, object, event and place - represent the subjects of intellectual or artistic production.

- Concept of work against other entities
- Clarification of bibliographic relationships

2009 - FRAD - Functional Requirements for Authority Data - Records Authority – Working Group on Functional Requirements and Numbering of Authority Records (FRANAR) - a group created by IFLA with the aim of developing the functional requirements for authority data - to develop the model for the entities of groups 2 and 3 of the FRBR.
- Identify the key objects or entities relevant in terms of controlled access points, define their characteristics or attributes most important and express their relationships.


- Two goals:
1 - to provide a structured framework that would allow the authority data relate to the needs of users and operations;
2 - contribute to the sharing and reuse of such data on an intellectual level, both in and outside of libraries.

Control Authority - controlled access to authors and titles. Autorizas forms and variants include, for names and titles that encompass all forms of the name of a particular author or for a given title.

Entities in Bibliographic Universe - person, community, work, expression, manifestation, item, concept, object, event, and place, plus an additional party - family) - the names and / or identifiers in the process of cataloging used as a basis for constructing points controlled access. Reflect intellectual constructs or concepts that derive from the rules used to create catalogs.


Bibliographic entities - known by - Name and / or indentificadores - base - controlled access points (which vary from catalog to catalog according to the rules behind it).

Potential of FRAD:
- Improve data management authority,
- Take better advantage of its ability to:
- Develop a catalog syndetic structure
- Promote understanding of these data even outside the context in which they are produced (essential in network environments).

Home in 2005 - FRSAD - Functional Requirements for Subject Authority Data held on the holding of a catalog. Tool to assess and develop the potential sharing of indexing languages in the Semantic Web.

Theoretical framework that analyzes the function and data structure of authority subject to a high level.

FRBRoo - Functional Requirements for Bibliographic Records object-oriented - created in 20003 - Working Group on FRBR / CRM Dialogue in cooperation with the CIDOC CRM Special Group - aim: - to prepare a formulation of the FRBR object-oriented and compatible extension of the CIDOC - Concept Reference Model (CRM) - 1996 - conceptual model for information from museums, formulated in accordance with the methodology of object orientation. (O-O).

This initiative harmonizes the two models in order to facilitate interoperability between information from libraries and museums, including the use of RDF (Resource Descrption Framework) as a language for sharing and reuse of metadata between systems in the Web environment.

Models of methodology of analysis:
- Entity-Relationship ER - concept introduced by Peter Chen (1976) - tool for analysis and design of databases that represent the real world through entities and associations that relate. "Functional requirements - requirements that bibliographic records should answer in relation to different types of operations that users perform on the holding of a catalog.


Library Catalogs Traditionally Linear access
Transform
Catalogs emphasis on relations
to the most important relationships Users
contribute to a better interpretation and contextualization of data that meet their needs.

Used by: FRBR, FRAD. FRADS.

- Guidance OO Objects - Methods of analysis coming from the world of software engineering that corresponds to the phase of growing "componentization of applications and systems integration.

Appears as a more potent and less static than the ER method.

Used by: FRBRoo.


This kind of science is still very misunderstood by the general population. Many people still do not understand the complex work that is done behind the scenes to ensure that information is available effectively, increasingly accessible and more immediate.

There are several groups of professionals who have dedicated their time and availability, meeting regularly, so that the rules become more effective and appropriate media and the new realities that are emerging.

Bibliografia / Bibliography:
Galvão, Rosa Maria; Cordeiro, Maria Inês – Novos princípios, modelos e normas para o futuro dos serviços de informação bibliográfica. In: 10º Congresso Nacional BAD em linha]. Guimarães, BAD, 2010. [consult 27-02-2012]. Disponível em:
 http://www.bad.pt/publicacoes/index.php/congresso/article/view/197/193




Na próxima edição do Clube de Leitura, no dia 25 de Maio, entre as 21h e as 22h30, durante cerca de uma hora, vamos falar sobre: Missão e funções da Biblioteca Nacional de Portugal.

Na próxima edição poderei realizar um webinar, provavelmente em língua portuguesa. Vamos lá ver como é possível? Vou tentar….




In the next edition of the Reading Club, on May 25, between 21h and 22h30 for about an hour, let's talk about: Mission and Functions of the National Library of Portugal.

In the next issue I can do a webinar, probably Portuguese. Let's see how is it possible? I'll try ....

Até Já / See you soon

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...