Um Blogue sobre livros, poesia, filmes, tecnologias informáticas e cultura.

A Blog about books, poetry, films, computer technology and culture.

Translate

Pesquisar / Search

Seguir por E-mail / Follow by Email

terça-feira, 6 de março de 2012

Poesia da Semana / Poetry of the Week: Allegro


Esta semana, dando continuidade à escolha da semana passada, a minha opção recaiu sobre Tomas Tranströmer que foi o prémio nobel da Literatura em 2011 e cuja poesia tem uma grande influência na Suécia e em todo o mundo, sendo ele o poeta sueco mais traduzido mundialmente, os seus poemas estão traduzidos em mais de trinta línguas.
Não querendo reduzir este poeta a um só poema. Selecionei como poesia da semana Allegro, como podia ter escolhido outro da sua vasta obra. Deixo-vos aqui o poema em português e em inglês e para ouvir em sueco.

Allegro

TOMAS TRANSTRÖMER

(tradução de Luciano Ramos Mendes)

Eu toco Haydn depois de um dia escuro
e sinto um calorzinho nas mãos.

As teclas desejosas. Os martelos gentis.
O som é jovem, vigoroso e silencioso.

O som diz que existe a liberdade
e que não se devem impostos ao imperador.

Eu enfio minhas mãos nos meus haydn-bolsos
e imito um homem tranquilo sobre o mundo.

Eu ergo minha haydn-bandeira. O sinal é:
“Jamais nos renderemos, mas queremos paz.”

A música é uma casa de vidro na encosta
onde voam pedras, rolam rochas.

As rochas rolam e a atravessam
mas as vidraças continuam intactas.


This week, continuing last week's choice, my choice fell on Thomas Tranströmer which was the Nobel Prize for Literature in 2011 and whose poetry has a great influence in Sweden and around the world, being the most translated Swedish poet worldwide , his poems have been translated into over thirty languages.
Not wanting to reduce the poet to a poem. I selected Allegro as poetry of the week, as I could have chosen another of his vast work. I leave you here the poem in Portuguese and English and to hear in Swedish.

TOMAS TRANSTRÖMER

Allegro

After a black day, I play Haydn,
and feel a little warmth in my hands.

The keys are ready. Kind hammers fall.
The sound is spirited, green, and full of silence.

The sound says that freedom exists
and someone pays no tax to Caesar.

I shove my hands in my haydnpockets
and act like a man who is calm about it all.

I raise my haydnflag. The signal is:
“We do not surrender. But want peace.”

The music is a house of glass standing on a slope;
rocks are flying, rocks are rolling.

The rocks roll straight through the house
but every pane of glass is still whole.




Em sueco, vale a pena ouvir a versão original, mesmo que não se entenda uma palavra, há sempre uma melodia na forma como é lida a poesia

In Swedish, worth listening to the original version, even if they do not understand a word, there is always a melody in the way poetry is read





Não se esqueçam na próxima terça-feira cá estarei com mais uma poesia da semana.

Do not forget next Tuesday I'll be here with more a poem of the week.

Até Já / See you soon


LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...